Porque é que Scientology se opõe aos abusos psiquiátricos?

PORQUE É QUE SCIENTOLOGY SE OPÕE AOS ABUSOS PSIQUIÁTRICOS?

A objecção de Scientology à psiquiatria não resulta de qualquer desejo de negar o tratamento ao insano. Pelo contrário, a Igreja objecta aos maus-tratos dos doentes mentais, que é característica histórica da psiquiatria. É por isso que a Igreja apoia a Comissão dos Cidadãos para os Direitos Humanos, que trabalha para expor e erradicar a brutalização dos pacientes em nome da “saúde mental”. Ao longo dos anos, a Comissão dos Cidadãos tem investigado e exposto milhares e milhares de casos de negligência, abuso e brutalidade psiquiátricos.

Os Scientologists tampouco acreditam que as pessoas devem ser estigmatizadas com rótulos e “tratadas” com “curas” que não têm nenhuma base na ciência e são brutais ao extremo. Ao longo da sua longa e trágica história a psiquiatria tem inventado numerosas “curas” que finalmente provaram ser extremamente destrutivas. Nos séculos XVIII e XIX, pacientes mentalmente perturbados foram literalmente submetidos a aparelhos de tortura. Em seguida, eram banhos de gelo e choque de insulina. Em seguida, a terapia eletroconvulsiva que causava quebra de dentes e ossos, bem como perda de memória e de regressão a estados comatosos. Em seguida, foi a lobotomia pré-frontal com um picador de gelo através da órbita ocular. Hoje é com drogas.

Agora é rotina da prática psiquiátrica rotular e estigmatizar os jovens com diagnóstico de transtornos mentais por atacado. É um negócio surpreendentemente lucrativo. Mas enquanto os psiquiatras fazem dinheiro fácil aos bilhões, a sociedade recebe uma nova geração de toxicodependentes ao longo da vida e, portanto, ainda mais consumidores para drogas psicotrópicas.

Hoje, o marketing de antidepressivos atingiu igualmente proporções de pesadelo, e o cenário torna-se ainda mais preocupante quando se considera os episódios de violência explosiva que as drogas precipitam. Além disso, não há categoricamente qualquer evidência de que existam as doenças que tais drogas alegam tratar, quer dizer, é tudo uma farsa elaborada e mortal.

Esta não é a “crença” ou “opinião” de Scientology. Isso é um facto e é por isso que os Scientologists se opõem ao abuso psiquiátrico.