Qual é a opinião de Scientology sobre Moisés, Jesus, Maomé, Buda e outras figuras religiosas do passado?

QUAL É A OPINIÃO DE SCIENTOLOGY SOBRE MOISÉS, JESUS, MAOMÉ, BUDA E OUTRAS FIGURAS RELIGIOSAS DO PASSADO?

L. Ron Hubbard honrou os grandes líderes religiosos do passado pela sabedoria que trouxeram ao mundo. Ele escreveu que Scientology partilha “os objectivos que Cristo determinou para o Homem, que são sabedoria, boa saúde e imortalidade”.

Em “A Influência da Religião na Sociedade: O Papel do Ministro Voluntário L. Ron Hubbard afirma:

“As grandes forças religiosas civilizadoras do passado, como o Budismo, o Judaísmo, o Cristianismo e outras, enfatizaram todas a diferença entre o bem e o mal e valores éticos mais elevados.”

Em “A Esperança do Homem”, uma conferência dada a 3 de junho de 1955, o Sr. Hubbard afirma que honra:

“Os grandes líderes espirituais do passado não os dos tempos modernos, mas sim, os do passado já que estas pessoas nos transmitiram tradição suficiente para nos tornar conscientes do facto de que havia no Homem um lado espiritual. Estes grandes líderes espirituais foram enforcados, injuriados, mal-interpretados, incorretamente citados, não tendo sido de forma alguma compreendidos. Mas, no entanto, as suas mãos têm transmitido um facho ao longo dos séculos para que nós pudéssemos culminar isto com uma maior capacidade para o Homem e alguma esperança no seu futuro…

“Todas estas pessoas estavam a dizer alguma coisa que era muito mais importante do que ‘Existe um lado espiritual na vida.’ Elas estavam a dizer: ‘Há esperança. Podem chegar ao pé de vocês e dizer-vos que está tudo perdido, que estão todos mortos, que estão presos numa armadilha, e que não há qualquer esperança para vocês. Podem aparecer para vos dizer isto; mas isto não é verdade. Há esperança. Vocês continuam, de facto, a viver. Esta vida não é tudo o que existe. Existe uma vida futura na qual poderão fazer mais e melhor, ser bem-sucedidos de uma forma mais digna do que aquela que têm sido.’ Isso é tudo o que estes homens disseram…

“… uma quantidade considerável do que agora chamamos religião neste Hemisfério Ocidental foi dado a este Hemisfério Ocidental diretamente por Gautama Buda. Isso infiltrou-se através do Médio Oriente. ‘Ama o teu próximo’, foi uma das primeiras lições que ele ensinou e foi essa lição que nós recebemos do Médio Oriente.

“Mas aquilo que eu estou a dizer é que essas pessoas transmitiram um facho de sabedoria, de informação, de geração em geração. Difundiu-se ao longo das rotas geográficas e uma dessas rotas geográficas era o Médio Oriente. E uma das pessoas que o transmitiu foi um homem chamado Moisés. E uma outra vez, ele foi transmitido a um homem chamado Cristo. E ele transmitiu-o e até as nações árabes beneficiaram disso por meio do seu próprio profeta, Maomé.

“E estes homens eu considero-os grandes líderes espirituais, pois através dos séculos deram ao Homem a esperança de que a vida podia continuar, de que havia um lado espiritual na existência, de que a atividade das trocas comerciais e dos lucros não era tudo na vida.”

Além disso, L. Ron Hubbard ensinou que as crenças religiosas de todos merecem respeito. No livro O Caminho para a Felicidade, que não é de facto uma obra religiosa, mas que pode ser usado por qualquer pessoa, religiosa ou não, o Sr. Hubbard forneceu uma série de orientações práticas para se viver. Um dos preceitos no livro é “Respeite as Crenças Religiosas dos Outros”.

“A tolerância é uma boa pedra angular sobre a qual construir as relações humanas. Quando se olha para os massacres e sofrimentos causados pela intolerância religiosa ao longo da história do Homem, e até aos tempos modernos, pode-se ver que a intolerância é uma atividade bastante contrária à sobrevivência.

“A tolerância religiosa não quer dizer que a pessoa não possa expressar as suas próprias crenças. Mas significa que procurar minar ou atacar a fé e as crenças religiosas dos outros foi sempre um caminho direto para os conflitos.”