Princípios de Scientology: Um Conhecimento sobre a Vida

SCIENTOLOGY: UM CONHECIMENTO SOBRE A VIDA

O símbolo de Scientology é um S colocado em cima de dois triângulos. O S representa Scientology. Os dois triângulos representam conceitos importantes na religião de Scientology. O triângulo inferior representa afinidade, realidade e comunicação, que juntas são iguais a compreensão. O triângulo superior é constituído por um outro conjunto de factores intimamente interligados: conhecimento, responsabilidade e controlo.

Por tudo o que Dianética resolveu no campo do comportamento e da mente humanos, existe ainda uma questão pendente. Quando alguém estava a olhar para um quadro de imagem mental, quem estava a olhar para aquele quadro?

A grande descoberta veio no outono de 1951, depois que L. Ron Hubbard observou muitíssimas pessoas usando Dianética e encontrou uma comunhão de experiências e fenómenos. Depois de revisar cuidadosamente todos os dados relevantes da investigação, ele isolou a resposta: O homem não era nem o seu corpo nem a sua mente, mas um ser espiritual. Esta era a fonte de tudo que é bom, decente e criativo no mundo: o indivíduo como sendo ele mesmo. Com esta descoberta, L. Ron Hubbard fundou a religião de Scientology, pois ele tinha-se movido com firmeza no campo tradicionalmente pertencente ao âmbito da religião e da alma humana.

O termo alma, no entanto, tinha desenvolvido tantos outros significados a partir do uso em outras religiões e práticas que um novo termo foi necessário para conotar exatamente o que tinha sido descoberto. O termo escolhido por LRH foi thetan, da letra grega theta (o símbolo de theta) o símbolo tradicional do pensamento ou da vida.

Por thetan queremos dizer a própria pessoa, − não o seu corpo ou o seu nome, o universo físico, a sua mente ou qualquer outra coisa. É aquela pessoa que está consciente de estar consciente, a identidade que É o indivíduo. Uma pessoa não tem um thetan algo que a pessoa mantém à parte dela própria; ela é um thetan.

Neste contexto a sua análise sobre o fenómeno conhecido como exteriorização foi muito pertinente à investigação de L. Ron Hubbard. Embora vários textos religiosos mencionem isso, ninguém nunca tinha considerado a questão com um exame cuidadoso como esse. A partir dessa pesquisa, ele concluiu que o thetan é capaz de deixar o corpo e existir independentemente da carne. Exteriorizada, a pessoa pode ver sem os olhos do corpo, ouvir sem os ouvidos do corpo e sentir sem as mãos do corpo. O homem já tinha muito pouca compreensão do desapego da sua mente e do seu corpo. Quando se alcança a exteriorização em Scientology uma pessoa adquire a certeza de que ela é ela mesma e não o seu corpo.