O Curso do Doutorado de Filadélfia

O CURSO DO DOUTORADO DE FILADÉLFIA

Esta célebre série representa o maior corpo de pesquisa independente sobre a anatomia, o comportamento e as potencialidades do espírito humano alguma vez reunido, fornecendo os verdadeiros fundamentos que estão subjacentes à rota para Thetan Operante. Aqui está, completamente detalhada, a relação do thetan com a criação, preservação e destruição de universos. Apenas nesses termos, está a anatomia da matéria, energia, espaço e tempo, e postular a existência de universos. Aqui está também, a perda pelo thetan, das suas habilidades da linha do tempo completa e as leis universais pelas quais estas são restauradas. Em resumo, aqui está a codificação de L. Ron Hubbard, da beingness e do comportamento dos níveis mais elevados. Palestra após palestra, ele expande plenamente cada conceito do texto do curso, Scientology 8-8008, fornecendo o âmbito total do “eu” no estado nativo. Acompanhadas de reproduções dos 54 diagramas originais das conferências, desenhados à mão por L. Ron Hubbard. Leia Mais

adquira
1.300€
Quantidade
Língua
Envio Gratuito Atualmente elegível para envio gratuito.
Em Stock
Envio dentro de 24 horas
Formato:
CD
Conferências:
76

MAIS SOBRE O CURSO DO DOUTORADO DE FILADÉLFIA

“O que pode um thetan fazer? Agora digamos um Theta Clear Aclarado. Não poderiam anotar tal objetivo, porque esse é o absoluto postulado, extremo, inalcançável. É provável que qualquer coisa que tenhamos entendido que isto seja, já seja provavelmente alcançável, porém qual é o extremo limite disso? Sabe Deus. Não tenho nenhuma ideia, e vocês tampouco têm.” – L. Ron Hubbard

Ao longo da História, o misticismo, a filosofia e a religião postularam a existência da alma ou espírito humano. No pensamento oriental, o indivíduo trabalhava para atingir um estado de iluminação pessoal, livre do mundo material. O próprio Cristianismo baseou-se na esperança de que o espírito do Homem podia transcender a morte.

Contudo, apesar das teorias e da esperança do Homem, ele não tinha provas. E na nossa era moderna, em que a racionalidade da ciência se tornou preeminente, a própria existência da alma foi posta em questão. Porque afinal de contas, ninguém a tinha visto, medido as suas dimensões ou verificado a sua produção de energia.

Por isso o Homem duvidou. E o espírito humano tornou-se uma coisa de superstição, de misticismo, de fé. Os novos sacerdotes do materialismo puderam ditar que as esperanças, sonhos, criatividade e ética do Homem eram simplesmente produtos de interações químicas no cérebro.

Foi neste mundo que L. Ron Hubbard entrou – e não foi com leveza.

Instruído tanto no espiritualismo do Oriente como no pragmatismo inflexível do Ocidente, ele dedicou-se desde muito novo a descobrir a verdade sobre o que era o Homem exatamente, qualquer que fosse essa verdade.

A sua pesquisa inexorável em Dianética tinha finalmente desvendado os segredos da mente humana. Os fenómenos dos quadros de imagem mental e o seu impacto oculto no Homem tinha sido testados e documentados em caso após caso. Contudo, continuava a haver perguntas, peças de um quebra-cabeças que não encaixavam no quadro geral.

Por um lado, na busca de incidentes aberrativos, os preclears por vezes deslizavam para vidas passadas. E, talvez ainda mais surpreendente, as aberrações depois resolviam-se com resultados rápidos e dramáticos.

No seu livro de 1951, Ciência da Sobrevivência, L. Ron Hubbard postulou uma força vital, que designou pela letra grega theta, como um tipo de energia diferente da matéria, energia, espaço e tempo do universo físico, ou MEST. Depois disto, ele deu início a uma pesquisa intensiva da natureza e potencial exatos desta força vital, não por meio da crença ou da fé, mas por meio de uma indução científica rigorosa. O Sr. Hubbard disse, acerca desta busca:

“Estamos a estudar a alma ou espírito. Estamos a estudá-lo como ele mesmo. Não estamos a tentar usar este estudo para reforçar algum outro estudo ou crença.”

A chave para a sua pesquisa era encontrar um meio para medir quantitativamente os fenómenos espirituais e mentais, algo que só veio a ser possível com o seu desenvolvimento do primeiro electropsicómetro, ou E-Metro, um instrumento suficientemente sensível para detectar as flutuações diminutas de resistência causadas por quadros de imagem mental. Armado com esta ferramenta de pesquisa, ele começou a localizar a mais elusiva das entidades, o espírito do Homem. Ele mais tarde observou:

“Assim que se aplicou este instrumento ao problema, o problema deixou de existir. Juntando e verificando as probabilidades em grandes quantidades de pessoas, foi feito o mapa do carácter, extensão e conteúdo da linha do tempo completa.”

Esta pesquisa revelou que, tanto a idade como as potencialidades do espírito tinham sido vastamente subestimadas – tal como tinha acontecido com a complexidade e natureza perversa dos incidentes que tinham aberrado e aprisionado o ser dentro de um corpo. Com uma recordação da linha do tempo completa que se estendia por biliões de anos no passado, o número de incidentes aberrativos a serem auditados alargou-se para muitos milhares de milhões. Tentar abordar estes com audição de Dianética seria uma tarefa assustadora. Então L. Ron Hubbard começou a olhar para o problema de um ângulo diferente: por que motivo é que estes fac-símiles se fixam a um ser espiritual? Poderiam as partes isoladas do Homem – espírito, mente, corpo – ser separadas umas das outras?

Testes efectuados revelaram que a separação do espírito do corpo era um processo surpreendentemente simples. Isto podia ser conseguido, em cerca de 50 por cento dos casos, com o comando exato de “Põe-te um metro atrás da tua cabeça”.

Com isto, num momento de importância crucial, L. Ron Hubbard isolou o espírito humano, não como uma entidade ou força separada do indivíduo, não como uma “alma” que se “mandava para o céu”, mas como a personalidade e beingness que é de facto o indivíduo e que tem consciência de ter consciência. Este ser theta, ou thetan, como ele descobriu, é imortal e possui capacidades muito para além daquelas previstas até agora para o Homem.

Ao exteriorizar o thetan do corpo, o objetivo tão procurado pela religião – a existência espiritual independente do corpo – tinha sido realizado, racional e sistematicamente.

Contudo, este estado exterior provou ser instável, pois os fatores que aberraram o ser ainda lá estavam para o aprisionar. Nas palestras das Conferências de Londres (Fonte de Energia da Vida) em Novembro de 1952, L. Ron Hubbard disse aos estudantes:

“Vocês estiveram nesse estado muitas vezes e não sabiam o suficiente para continuar nesse estado. Não pensaram que fosse possível. Pensaram que tinham que ter um corpo. Por outras palavras, tudo isto estava armadilhado.”

O que era preciso era um thetan que soubesse o suficiente para lidar com os problemas do universo MEST, que soubesse o suficiente sobre universos para manejar e proteger o seu próprio universo e que soubesse o suficiente sobre a linha do tempo e o que acontece no universo MEST para que isso não lhe pudesse voltar a acontecer.

Em suma, um Thetan Operante.

Criar uma ponte entre o Homo sapiens e o estado de Thetan Operante, ou OT, exigia uma base firme de conhecimento – tanto das suas próprias capacidades espirituais como da anatomia do aprisionamento.

Em conformidade com isto, no fim de 1952, o Sr. Hubbard iniciou os preparativos para um curso compreensivo, que começaria em Filadélfia no dia 1 de Dezembro de 1952.

Na sua carta à Fundação Hubbard de Filadélfia, ele comprometeu-se a um programa de palestras longo para tratar a extensão e amplitude deste material, com 5 palestras por dia, num total de 45 horas de palestras e demonstrações. De facto, ele até acabou por exceder isto, dando um total de 62 palestras num período de 18 dias, com 14 palestras suplementares dadas no mês de Janeiro em Londres.

Como texto do curso, L. Ron Hubbard escreveu Scientology 8-8008. Os números do título resumiram o seu objetivo:

“A definição original de Scientology 8-8008 era a obtenção do infinito (8) pela redução do infinito (8) e o poder aparente do universo mest até um zero (0) para o indivíduo, e o aumento do zero (0) aparente do universo do próprio indivíduo até um infinito (8) para si próprio. (...) Pode notar-se que o símbolo do infinito, quando posto na vertical, forma o número 8. Sendo assim, Scientology 8-8008 não é apenas algum número, mas serve para fixar na mente do indivíduo uma rota pela qual ele pode reabilitar a si próprio, as suas capacidades, os seus valores éticos e os seus objetivos.”

Sabendo que a informação que ele estava prestes a divulgar precisaria de ser disseminada de Filadélfia para o resto do mundo, rapidamente e sem abreviar nem alterar nada, ele também tratou da gravação profissional das suas palestras. Um dos estudantes da Fundação de Filadélfia era também engenheiro de som da RCA e arranjou gravadores e microfones dos mais modernos para fazer o que viria a ser as primeiras gravações de alta-fidelidade alguma vez feitas das suas palestras.

Tudo isto culminou no dia 1 de Dezembro de 1952, quando o Sr. Hubbard chegou a Filadélfia com o primeiro exemplar do manuscrito de Scientology 8-8008 na mão. Os trinta e oito estudantes selecionados empurraram-se avidamente para dentro da sala de curso da Fundação, em 237 North 16th Street, no centro de Filadélfia. Como um estudante recorda: “Nenhum de nós, nem mesmo aqueles que tinham escutado as suas palestras muitas vezes em Wichita e Phoenix, estava preparado para o espectáculo pirotécnico fantástico dos serões.”

No seu discurso de abertura, L. Ron Hubbard disse-lhes:

“Penso que este tema nunca antes foi ensinado aqui na Terra. Têm-se ensinado aqui alguns temas espantosos… mas nenhum tema é tão espantoso como este.”

E assim o Sr. Hubbard prosseguiu com a apresentação detalhada dos resultados da sua pesquisa da natureza, habilidades, potencialidades e capacidades do thetan.

O âmbito do material era vasto, abarcando o conjunto completo das atividades humanas e espirituais. Ele descreveu detalhadamente a relação de um thetan com um corpo e exatamente como um corpo é controlado e dirigido por um thetan usando fluxos de energia e controlos motores. Mas ainda mais fundamental, ele explicou a razão por que um thetan tem um corpo e como, passo a passo, o espírito foi atraído para um corpo, se interessou por este e finalmente ficou dependente de um corpo.

Em palestra após palestra, ele descreveu detalhadamente a relação do thetan com o universo da matéria, energia, espaço e tempo, revelando também uma escala de gradientes de beingness, desde o estado mais baixo de concordar completamente com o universo MEST e ser controlado por este, até aos estados mais elevados em que o ser cria o seu próprio universo.

No fim do curso, o Sr. Hubbard tinha dado 62 palestras, cada uma com a duração de uma hora, com um total de 54 diagramas, desenhados à mão no decurso destas palestras. No mês seguinte, foram dadas outras 14 palestras suplementares em Londres, perfazendo 76 palestras e constituindo um corpo monumental de conhecimento sobre as potencialidades completas de um thetan.

O Curso do Doutorado de Filadélfia e o seu texto, Scientology 8-8008, continua a ser hoje a maior obra individual sobre a identidade, carácter e potencialidades do espírito do Homem alguma vez reunida. L. Ron Hubbard dedicaria os trinta e quatro anos seguintes ao pleno desenvolvimento de A Ponte para a Liberdade Total, providenciando a rota que todos poderiam percorrer passo a passo, para alcançar as suas potencialidades espirituais completas, como descritas neste curso – Thetan Operante.