As Caraíbas

O ANIVERSÁRIO DA VIAGEM INAUGURAL DO FREEWINDS HONRA 12 MESES INESQUECÍVEIS PARA SCIENTOLOGY

Scientologists avançados embarcam no Freewinds para a semana de junho de planeamento em nome da expansão da Igreja que celebra um ano incrível de triunfos.

Eles começaram a chegar na sexta-feira em pequenos grupos, e no sábado eram mais de 200 membros dedicados, compatriotas determinados iam alegremente através da movimentada Bridgetown, a capital da nação caribenha de Barbados. À medida que o sol tropical os aquecia, e os ventos alísios refrescava-os, o grupo a afluir em direção a um navio atracado no porto da cidade, um navio branco ofuscante, 134 metros de comprimento e adornado para a celebração. Os visitantes foram saudados por bandas de tambores de aço, uma multidão festiva de simpatizantes e dignitários locais a aplaudir os visitantes com «boa viagem».

O Sr. David Miscavige, Presidente do Conselho do Religious Technology Center, começou uma semana de celebração que incluía uma série de eventos que abrangem os avanços de Scientology, expansão, boas notícias e muito mais.
 

Para os caribenhos, desejar boa viagem a navios de cruzeiro e aos seus turistas é comum. Mas aquele navio não é um de recreio, nem o eram os participantes que se reuniram para a mera diversão, embora eles se tenham certamente divertido. Embora o navio, Navio a Motor Freewinds, tenha semelhanças com um navio de cruzeiro — as linhas clássicas, os camarotes estilosos e cozinha de primeira classe de um transatlântico — este é um retiro religioso da Igreja de Scientology.

Durante 51 semanas do ano, o Freewinds regista e cartografa aventuras que levam programas humanitários e educacionais ao Caribe e à América Latina e o navio realiza serviços espirituais para os Scientologists mais avançados.

E essa semana restante do ano? É especial. Muito especial. Os Scientologists que alcançaram os níveis espirituais mais elevados da religião reúnem-se em junho para revisitar o ano, celebrar a expansão da Igreja e os êxitos de cruzadas humanitárias globais massivas. Ainda mais importante, eles coordenam as suas ações para realizações ainda maiores nos próximos meses.

A expedição anual é uma reunião de Scientologists mais avançados da religião. Aqueles que assistem ao aniversário da Viagem Inaugural também fazem parte de um grupo dedicado que tem liderado a expansão da religião, especialmente através da criação de Igrejas Ideais na sua zona geográfica.

«De facto, vocês estão prestes a testemunhar uma vista panorâmica do nosso movimento», disse o Sr. David Miscavige, líder eclesiástico da religião de Scientology, na inauguração do aniversário da Viagem Inaugural. «Um movimento que se espalha agora em ambos os hemisférios em nome de Organizações Ideais: desde a América do Sul e América Central, às fronteiras do Reino Unido e do centro da Europa e para a África do Sul e através da Australásia. Porque, afinal de contas, com uma Organização Ideal podemos levar tudo o que temos de suportar em nome da ajuda, a todos os bairros, todas as comunidades em todos os lados — e, dessa forma, todos juntos podemos realizar um mundo melhor.»

Eventos principais e briefings noturnos do aniversário da Viagem Inaugural trataram de uma agenda diversa e cativante.

A HONRAR UM NAVIO HUMANITÁRIO

Em primeiro lugar na agenda estava o próprio Freewinds. Este é um navio com uma missão humanitária única, que foi destacado pelas campanhas no Caribe e América Latina durante o ano passado. Por exemplo, os participantes do aniversário da Viagem Inaugural aprenderam acerca do Capitão da Polícia Marcelo Montenegro, que jurou levar os programas patrocinados pela Igreja à sua nação, liderada pela polícia e cadetes da nação. Já houve um declínio de 65% na taxa de criminalidade geral e homicídios onde o programa de A Verdade sobre as Drogas e O Caminho para a Felicidade, o código moral de senso comum do Sr. Hubbard, foram aplicados.

A missão humanitária do navio estava mais destacada por funcionários e dignitários de todas as ilhas. Estes incluem:

  • A Secretária-Geral da UNESCO em S. Cristóvão a dar-lhe a sua «gratidão sincera» pela «parceria continuada dos Direitos Humanos e por fazerem do mundo um lugar melhor» ao Navio.
  • A Comissão da Polícia Real de Antígua em reconhecimento dos cerca de 250 oficiais que agora foram educados n’O Caminho para a Felicidade evocando os seus juramentos de aplicar esses preceitos para «elevar a [sua] nação ilha».
  • E a Marinha Real Holandesa de Aruba a honrar agora o total de «27 anos de serviço» do Freewinds.

Esses sentimentos ecoaram pelas ilhas que o Freewinds chama de lar: Antígua, Domínica, São Martinho, São Cristóvão, Tortola, Virgem Gorda, Santa Lúcia, São Vicente, Barbados, Granada, Aruba, Bonaire, Curaçao, Freeport e Nassau. No total, o Freewinds recebeu mais de 400 prémios e honras para ajudar nos seus portos de escala.

UMA NOITE DEDICADA A L. RON HUBBARD

«Antes de mais nada, LRH era um escritor», disse o Sr. Miscavige ao introduzir a encantadora apresentação da noite em honra do legado do Sr. Hubbard.

Dan Sherman, Biógrafo do Fundador de Scientology, L. Ron Hubbard, deu uma narrativa sobre as façanhas e realizações de LRH como um dos principais escritores durante a Era Dourada da Ficção Científica nas décadas de 1930 e 1940 — antes que escrevera Dianética e estabelecera Scientology. O Sr. Sherman apresentou entrevistas com luminares do género literário — incluindo um agente lendário, um dos mais aclamados ilustradores e um dos pioneiros do fandom da ficção científica.

Essa narrativa levou diretamente através dos marcos miliários cronológicos da escrita do Sr. Hubbard diretamente ao livro que o Sr. Hubbard escreveu para celebrar o seu aniversário dourado como um escritor profissional — Terra — Campo de Batalha, um best-seller do New York Times, agora publicado numa edição do século XXI.

UMA NOITE NO NOME DA SALVAÇÃO GLOBAL

Aquelas pessoas a bordo para o aniversário da Viagem Inaugural assistiram a um evento formal a honrar a Associação Internacional de Scientologists (IAS), cuja missão é levar a mais esforços de melhoramento social da religião, apoiar e proteger as metas da religião, e para expandir a Igreja. Entre os grupos apoiados pela IAS em destaque no evento estiveram:

  • A Comissão dos Cidadãos para os Direitos Humanos, que durante 2016 lutou para restringir o abuso psiquiátrico sistemático nas instalações de saúde mental do Cazaquistão, hospitais dentro do Peru e por toda a rede de crianças acolhidas da Califórnia.
  • Unidos pelos Direitos Humanos e Youth for Human Rights, que instalou redes dos direitos humanos na Ucrânia, nas terras do Sul de Papua-Nova Guiné e em Washington, DC.
  • Mundo Sem Drogas, um grupo que levou a sua cruzada para virar a maré da dependência de espalhar-se pelos municípios da África do Sul, para levar a mensagem contra as drogas às escolas da República Dominicana, e durante uma campanha durante uma semana para Super Bowl 50 de San Francisco.
  • Por fim, O Caminho para a Felicidade, que trouxe a calma e moralidade mal chegou à Letónia, nas ruas de Amesterdão e na cidade de Gómez Palacio no estado Durango do México.

O que foi indubitavelmente uma magnífica vitória para a liberdade religiosa tornou-se uma causa para celebração a bordo do Freewinds. O Sr. Miscavige coroou a noite com o anúncio de uma decisão legal histórica que protege a liberdade de praticar a religião em todos os 47 países que aderem à Convenção Europeia sobre os Direitos Humanos. Foi uma vitória sobre um ato de discriminação, um relatório de 670 páginas da Comissão Parlamentar belga publicado em 1997 que estigmatizou 189 religiões e organizações religiosas. Impelido pelo fervor sectário, seguiram-se falsas acusações contra a Igreja e os seus membros no que o tribunal descreveu como uma tentativa deliberada de pôr uma religião, a sua doutrina ou crenças em julgamento. No entanto, depois de 18 anos e uma audição de 7 semanas, uma decisão de 173 páginas indeferiu todas as acusações, ilibou todos os réus e declarou que todo o caso era uma «violação grave e irremediável do direito a um julgamento justo». A decisão foi um triunfo total para a Igreja e para a liberdade religiosa na Europa.


Um tema foi evidente de muitas maneiras ao longo da convocação semanal: a expansão da Igreja. Entre os eventos noturnos, os Scientologists reuniram-se para reuniões de planeamento, em grupos que representam vários continentes e zonas geográficas. As agendas incluíam procurar novos edifícios da Igreja para a aquisição, rever os planos de espaço e desenhos e metas para a construção. Representantes do Gabinete do Senhorio Internacional da Igreja Gabinete estiveram presentes e por perto, a sede de operações para projetos de edifícios por todo o mundo.

O resultado tem sido a abertura de 51 Igrejas Ideais (Orgs Ideais). A inauguração mais recente foi em abril em Atlanta, e as próximas estão planeadas em Harlem, Nova Iorque e em Budapeste, Hungria. Outras 50 Orgs Ideais estão preparadas para abrir nos próximos dois anos.


A mensagem final da convocação semanal não foi tanto um «adeus». Mas em vez disso, o Sr. Miscavige deu um «viaje para a frente» à medida que os passageiros desembarcavam agora carregados com ideias para um futuro audacioso, e as suas miras colocadas em horizontes e noutro ano de realizações.