EAST GRINSTEAD, REINO UNIDO

30 ANOS DA IAS:
UM LEGADO DE MELHORAMENTO GLOBAL

Tudo começou em 1984, uma altura quando Scientology apenas poderia ser encontrada em 39 nações no planeta. 30 anos mais tarde, os membros da Associação Internacional de Scientologists (que em inglês significa International Association of Scientologists, por sua sigla IAS), vêm de 130 países por toda a América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia, África e Austrália, fortificando a estatura da Igreja como a única religião mundial a emergir no século XX que também está a ser muito bem-sucedida no século XXI.

A distinção única da Igreja de Scientology como uma força internacional expansiva e em constante evolução estava numa exposição impressionante numa celebração estrondosa de 2½ horas na noite de 17 de outubro em Saint Hill, lar histórico do Fundador de Scientology, L. Ron Hubbard. Cerca de 7500 membros da Igreja vindos de todo o mundo convergiram no Reino Unido para marcar o 30.º Aniversário da Associação Internacional de Scientologists numa apresentação importante e estimulante que honrou um movimento cujo alcance se espalha por todos os cantos do globo.

«Esta noite celebramos 3 décadas da IAS e a nossa chegada a um local que era inconcebível há 30 anos», começou o Sr. David Miscavige, Presidente do Conselho do Religious Technology Center. Ele comentou que Scientology é «o único movimento que transcende todas as barreiras nacionais, culturais e demográficas... e que isso não está sequer a contar o que transcendemos em termos de espaço e tempo do universo físico.»

O Sr. David Miscavige, Presidente do Conselho do Religious Technology Center, presidiu ao evento que lança uma lupa nos feitos consideráveis da IAS durante as suas três primeiras décadas enquanto também brilhava uma luz vivida nos três indivíduos que sobressaíram e que receberam as Medalhas da Liberdade da IAS de 2014 pelo seu trabalho incansável no nome de Scientology e das campanhas humanitárias patrocinadas pela IAS. O maior holofote caiu sobre o trabalho robusto e dinâmico de Scientology na batalha contra a toxicodependência, ofensas contra os direitos humanos, e tormento da brutalidade psiquiátrica por todo o planeta.

«Esta noite celebramos 3 décadas da IAS e a nossa chegada a um local que era inconcebível há 30 anos», começou por dizer o Sr. David Miscavige. Ele comentou que Scientology é «o único movimento que transcende todas as barreiras nacionais, culturais e demográficas... e que isso não está sequer a contar o que transcendemos em termos de espaço e tempo do universo físico.»

Mas, baseado no que emergiu nas próximas duas horas, o espaço e tempo pareciam verdadeiramente ter sido transcendidos ao detalhar uma vasta lista de feitos alcançados durante o último ano com planos ambiciosos para o ano vindouro.

Este inclui a continua ascensão das campanhas para livrar o mundo do abuso psiquiátrico; um programa de educação sobre as drogas designado para erradicar a toxicodependência epidémica através do programa A Verdade sobre as Drogas; uma cruzada dos direitos humanos, esclarecer povos sobre a Declaração Universal dos Direitos do Homem; a campanha de O Caminho para a Felicidade, cujos preceptos ajudam a restaurar os laços de humanidade e decência básicos da humanidade; e os Ministros Voluntários de Scientology, que estão a postos 24 horas por dia 7 dias por semana e providenciam ajuda àquelas pessoas devastadas e traumatizadas em alturas que é mais preciso. Todos os feitos as campanhas foram apresentados com um leque multi-étnico e multicultural de imagens deslumbrantes e dados estatísticos abrangentes.

Isto levou à introdução do Sr. Miscavige de um feito monumental: uma rede de centros de treino Narconon Ideal em expansão que serve todas as zonas continentais. Esta série de instalações serve para ajudar aquelas pessoas que estão nas garras da toxicodependência para reabilitar as suas mentes e corpos. Cada um está elegantemente equipado e preparado em áreas de grandeza pastoral imaculada. Estes incluem instalações no East Sussex, Inglaterra; Ontário, Canadá; Hovedstaden, Dinamarca; Estado do México, México; Nova Gales do Sul, Austrália; Gauteng, África do Sul; e finalmente, umas instalações gloriosas no cimo da colina na pitoresca Ojai, Califórnia. Cada uma das instalações permanece como uma joia da coroa por direito próprio, oferecendo vistas lindas e acomodações luxuriosas nas quais desintoxicar e reabilitar.

O Sr. Miscavige revelou depois uma Organização Avançada e Base Continental para a Austrália e região asiática. A marcar uma nova era para Scientology no hemisfério sul, as instalações estendem-se por 1 hectare e com vista para o Parque Nacional Lane Cove de Sydney. Aqui, Scientologists de Tasmânia a Tóquio atravessarão os reinos superiores da Ponte para a Liberdade Total.

A adicionar ao brilho da noite estiveram os vencedores da Medalha da Liberdade da IAS, cujas três apresentações foram intercaladas durante a noite. Outorgados a Scientologists que levam o propósito da IAS adiante ao ajudar o seu semelhante, este ano os honorados incluíram:

  • Vlastimil Spalek, um «maratonista-biciclista» checo que atravessou a sua nação por bicicleta e a pé, a levar a palavra do movimento A Verdade sobre as Drogas para deter por fim a toxicodependência na República Checa. Ao fazer a sua aceitação, Spale disse: «Estou muito orgulhoso de ser parte deste programa e por ajudar L. Ron Hubbard a criar um planeta sem drogas. A educação sobre drogas real pertence a todos. Todas as idades e classes. E ao dá-la a todos, criamos compreensão e confronto.»
  • Maria Lara, uma atriz primorosa de Bogotá, Colômbia que usou energeticamente os valores de senso comum de O Caminho para a Felicidade para galvanizar o pessoal industrial e militar em cinco nações. Na sua aceitação, Lara salientou: «Quando descobri Scientology, descobri o verdadeiro significado de ser uma artista. A única razão porque tenho poder neste planeta é para ajudar.»
  • Kate Ceberano, a super estrela musical australiana que durante cerca de três décadas tem defendido incansavelmente Scientology como uma voz humanitária para a liberdade. Ela disse à assistência enquanto aceitava a sua medalha da Liberdade: «Foi preciso uma tribo para manter as coisas em marcha. Isto é, 3 gerações da minha família, todos a apoiar a IAS e continuarão a apoiar até que a sociedade tenha as ferramentas necessárias para criar sanidade e melhorar uma cultura.»

Na noite seguinte, 18 de outubro, mais de 2000 Scientologists reuniram-se para o Baile de Patronos, um evento de gala na Grande Tenda onde os mais recentes Patronos foram reconhecidos pela sua dedicação em levar adiante o movimento humanitário da IAS que apoia as Metas de Scientology para um mundo melhor.

_________________

A Associação Internacional de Scientologists, uma associação de filiação aberta a todos os Scientologists de todas as nações, foi formada em 1984. O propósito da IAS é unir, fazer avançar, apoiar e proteger a religião de Scientology e os Scientologists em todas as partes do mundo com o fim de realizar os Objectivos de Scientology tal como foram originados por L. Ron Hubbard: «Uma civilização sem insanidade, sem criminosos e sem guerra, onde os capazes possam prosperar e os seres honestos possam ter direitos, e onde o Homem seja livre para se elevar a maiores alturas.»