Miami, Florida

UMA RECEÇÃO MÁGICA DÁ AS BOAS‑VINDAS À NOVA IGREJA DE SCIENTOLOGY DE MIAMI

A nova Igreja de Scientology desta Cidade Mágica abre as suas portas em honra da liberdade e do voluntariado no centro cultural de Miami.

Miami é tanto um estado de espírito como é um local. A cidade está, por exemplo, a cerca de 370 km de Havana, Cuba. Mas a Miami de hoje está tão intrincadamente fundida com a capital Cubana, como os dois lados de uma moeda. Miami é latina, é haitiana, é sulista, é ianque, de ambiente quente e suado e é infinitamente fixe. O baladista principal da Florida, Jimmy Buffett, cantou sobre Miami: “Nós temos um estilo, temos uma imagem, temos o velho carisma.”

Há um novo brilho nesse carisma. Na Autoestrada 1 dos EUA, entre a lendária atmosfera boémia de Coconut Grove e a empreendedora cidade internacional de Coral Gables, 2000 Scientologists e convidados reuniram‑se no sábado, dia 29 de abril de 2017, numa estrutura proeminente para celebrar a inauguração de uma Igreja de Scientology.

O Sr. Miscavige faz o seu discurso de inauguração para os milhares de pessoas reunidas na cerimónia festiva da inauguração, realizada no sábado, dia 29 de abril, no coração de Miami.

Ao comemorar a nova Igreja de Scientology de Miami, o Sr. David Miscavige, Presidente do Conselho de Religious Technology Center e líder eclesiástico da religião de Scientology terminou o seu discurso inaugural com a seguinte declaração:

“O Mar tem muitas vozes, muitas faces e muitos ânimos.
“Mas quanto mais diversas forem as águas, maior será o romance e a aventura.
“Por isso continua a navegar Poderosa Miami.
“Boa viagem e boa sorte.
“A vossa organização é agora um Navio de Estado e navega pela humanidade sob a bandeira de Scientology!”

As novas instalações foram concebidas para elevar indivíduos a estados de liberdade mental e espiritual mais avançados e também um centro humanitário para lançar programas que lutam contra o consumo de drogas e a iliteracia, que promovem os direitos humanos e que enviam equipas de voluntários para locais de crises e calamidades por todo o globo.

Apesar de a Igreja de Miami ter semelhanças com as Igrejas de Scientology que estão em ambos os hemisférios da Terra, este local tropical da Florida reflete o carácter especial desta região do sul — tal como as outras Igrejas refletem as suas culturas, quer em Sydney, Auckland, Kaohsiung, Londres, Roma, Bogotá, Cidade do México, Tampa ou nas dezenas de outras cidades onde a religião floresce.

Assim, no fim de abril e com a brisa sudeste de Miami a refrescar os participantes, a celebração da inauguração trouxe à vida o ritmo da salsa decididamente característico de Miami. As festividades combinaram tais ritmos de dança latina com heróis humanitários — tudo sincronizado para devolver liberdade a esta cidade.

Miami está a muitos anos‑luz de distância de 1900, altura em que era apenas um posto de comércio com menos de 2000 residentes a reivindicar os pântanos em Everglades. Em 1960, viviam em Miami algumas 935 000 pessoas e em 2015 subiu para 2,7 milhões — Miami era a capital internacional financeira e cultural da América Latina.

O que é que causou isto? Numa só palavra: Liberdade.

No início de janeiro de 1959, multidões de refugiados que procuravam liberdade começaram a vir da corrente do Golfo para Miami em barcos, jangadas ou qualquer coisa que flutuasse. Não só houve um aumento repentino da população do Sul da Florida, como o carácter e cultura da cidade se transformaram.

Um dos primeiros postos fronteiriços daquilo que se tornou a expansão mundial acelerada de Scientology era em Miami, tendo aberto pela primeira vez nesta Cidade Mágica a 11 de março de 1957. Agora, a Igreja cresceu para o seu novo incrível edifício moderno na “Estrada Principal” de Miami ou como lhe chamam os habitantes locais, na “South Dixie Highway” (Autoestrada de South Dixie), onde alguns 70 000 carros passam todos os dias. Com uma altura de seis andares e um espaço de cerca de 4600 metros quadrados, esta é tal como o alcaide de Miami — ou presidente da câmara, caso não estejam familiarizados com a linguagem tropical — o Sr. Tomás Regalado a descreveu: “Uma âncora para a comunidade, viva com voluntariado.”

A Igreja ativou várias iniciativas humanitárias como esforços para combater questões sociais crónicas e graves e o seu novo lar proporciona um trampolim para todos os programas locais. Tais atividades incluem a parceria com igrejas, grupos comunitários da juventude, juízes e agentes da polícia para implementar a educação antidrogas para os residentes jovens. Ao todo, o programa do Mundo sem Drogas teve um impacto em mais de 35 000 pessoas, só na área de Miami.

A região é também um foco de violações dos direitos humanos e por isso a Igreja tem levado a cabo campanhas de consciencialização sobre o tráfico humano e o abuso da saúde mental, alcançando cinco milhões com as suas mensagens através de anúncios de serviço público na televisão espanhola de Miami e de entrevistas na rádio em horário nobre.

Enfatizando os programas humanitários e dos direitos humanos da Igreja, a celebração contou com a presença de dignitários tais como: o Presidente da Câmara, Sr. Tomás Regalado, o Sr. Lincoln Díaz‑Balart, Congressista dos EUA para o Distrito 21 (reformado), a Sra. Tamara Batalha, Diretora do Programa de Educação do Condado de Miami‑Dade e o Sr. Eduardo Sabillon, Conselheiro da Educação Antidrogas da Cidade de Miami.

No seu discurso de boas‑vindas, o Presidente da Câmara, o Sr. Regalado, homenageou a inauguração da Igreja. “Para mim, a Igreja de Scientology é muito simples”, disse ele para a multidão. “Vocês aprendem, trabalham, têm uma atitude positiva e ajudam as pessoas. Por isso e por muitas outras razões, vocês são ideais para a nossa cidade.”

O Presidente da Câmara, Sr. Regalado, explicou que: “Miami é um portal para o Sonho Americano e agora vocês abriram esse portal ao transformar um edifício frio e vazio num centro vibrante. […] E as vossas horas de voluntariado irão mudar vidas, não haja dúvida. Então, só vos peço que nos deem ainda mais das vossas ‘horas’. Dez mil, vinte mil — aceito o que conseguir obter. É isso que precisamos da Igreja de Scientology.”

Antigo Congressista, Díaz‑Balart, falou sobre a paixão mútua pelos direitos humanos e pela liberdade que estava imbuída no dia do evento: “Eu nasci em Cuba e quando tinha quatro anos vim para os Estados Unidos com a minha família, para fugir ao comunismo”, começou ele. “Quando conheci os membros da vossa Igreja, numa Conferência dos Direitos Humanos em Washington, DC, eu sabia que tinha encontrado seres humanos muito especiais. Mais tarde, quando fui falar com a vossa Divisão dos Direitos Humanos, vocês não me disseram: ‘Queremos a sua ajuda.’ Vocês perguntaram: ‘Como é que nós o podemos ajudar?’”

“O vosso trabalho não é apenas teoria”, continuou o Sr. Díaz‑Balart. “É real, muito real. Tenho ouvido dizer, daqueles que sofrem da brutalidade da opressão, que os materiais que vocês distribuem são ‘como uma lufada de ar fresco’. A necessidade de ser livre é inerente a cada ser humano. Todos nós precisamos de liberdade assim como precisamos de ar para respirar. E a vossa Igreja e os vossos programas contribuem significativamente para que as pessoas possam respirar liberdade nas suas vidas.”

A Diretora do Programa de Educação do Condado de Miami‑Dade, a Sra. Tamara Batalha, descreveu‑se a si mesma como uma “guerreira pelas crianças. No entanto a minha própria filha, aos 10 anos de idade não conseguia ler. Mas, quando Deus fecha uma janela, ele abre uma porta. E essa porta abria para a Igreja de Scientology!”

A filha da Sra. Batalha inscreveu‑se no programa da Escolástica Aplicada, baseado nas inovadoras ferramentas de estudo de L. Ron Hubbard. “Em apenas três meses, o nível escolar dela foi do jardim de infância a poder ler e escrever ao nível do terceiro ano.” Disse ela. “O que vocês fazem com a Tecnologia de Estudo é um milagre. Eu comecei a questionar‑me, agora que a minha filha foi salva, quantas crianças poderiam ser salvas da iliteracia?” Oito meses mais tarde, ela abriu uma escola da Escolástica Aplicada em South Miami.

O Conselheiro da Educação Antidrogas da Cidade de Miami, o Sr. Eduardo Sabillon, deixou a sua terra natal, as Honduras, aos 12 anos e veio para Miami — numa altura em que a cidade era sinónima de tráfico de drogas mundial. A paixão na vida do Sr. Sabillon é o combate às drogas.

“O meu principal desafio era a falta de recursos”, disse ele à multidão presente na inauguração. “Quando encontrei o vosso currículo do Mundo sem Drogas, era como se este tivesse caído do céu. Comecei a usar o programa em Miami e vi o quanto este atraía a juventude. O seu estilo de comunicação direta não disfarça as realidades do consumo de drogas.”

“Consequentemente, a palavra espalhou-se rapidamente. Pouco depois, parecia que toda a gente queria o programa, com estações de rádio e televisão a telefonar, assim como igrejas e grupos de jovens. Estavam todos a dizer: ‘Precisamos de algo com que a nossa juventude se relacione.’ Foi assim que o nosso movimento Sem Drogas começou.”

E para sublinhar o espírito de parceria sempre presente neste dia, o Sr. Sabillon falou da nova Igreja de Scientology como uma plataforma ainda maior para a transformação social. “Temos muito mais trabalho para fazer”, disse ele. “Por isso, quero agradecer‑vos por esta nova Igreja de Scientology e este fantástico novo começo para Miami, porque, afinal de contas, não é todos os dias que se abre uma organização como esta. E é por isso que têm o meu sincero compromisso de que todos nós iremos usufruir ao máximo dela.”


A nova Igreja de Miami oferece um Centro de Informação aberto ao público sete dias por semana, com cerca de 500 filmes que pormenorizam a vida e o legado do Fundador, L. Ron Hubbard e as crenças e práticas de Scientology. Além disso, também apresenta o tamanho e âmbito das iniciativas humanitárias e programas de melhoramento comunitário da Igreja, incluindo uma rede mundial de literacia e centros de aprendizagem; educação antidrogas, prevenção e reabilitação internacional; crescentes esforços pelos direitos humanos e a maior força socorrista mundial independente, o programa dos Ministros Voluntários de Scientology.

Estas instalações proporcionam a prestação de uma série de serviços de Scientology, incluindo seminários de Dianética e de Scientology, à noite e ao fim de semana, que oferecem uma visão geral dos princípios fundamentais e da sua aplicação na vida. Uma série de Cursos de Melhoramento da Vida de Scientology que complementam os seminários introdutórios para ajudar a melhorar qualquer aspeto da vida. A Igreja também apresenta uma ala inteira para a audição (aconselhamento espiritual) de Scientology.

A Capela da nova Igreja de Scientology de Miami foi concebida para reuniões congregacionais que incluem Serviços Dominicais, Casamentos e Batismos. Também é o local perfeito para eventos de portas abertas, reuniões comunitárias, banquetes cívicos e banquetes para os membros de qualquer fé.


O corte da fita de Miami dá início a um período épico de expansão para Scientology e coroa simultaneamente os últimos 12 meses de crescimento incessante. As recentes inaugurações de Igrejas ocorreram no Vale de São Fernando, na Califórnia; em Auckland, na Nova Zelândia; em San Diego, na Califórnia; em Sydney, na Austrália; em Harlem, Nova Iorque; em Budapeste, na Hungria e em Atlanta, na Geórgia.

Estão programadas futuras inaugurações em epicentros culturais da América Latina, América do Norte, Europa, Reino Unido e África.