As Conferências do Teatro Lindsey: Série da Tarde de Londres

AS CONFERÊNCIAS DO TEATRO LINDSEY: SÉRIE DA TARDE DE LONDRES

London Afternoon Series

Uma coisa impulsionara sempre o crescimento explosivo de Scientology: resultados espetaculares. E esse foi o tema desta série de conferências públicas histórica entregadas numa sala apinhada no Lindsey Theatre de Londres em Outubro de 1955.

Durante um período de quatro semanas, L. Ron Hubbard entregou as palestras que ficarão sempre conhecidas como a série introdutória clássica sobre Dianética e Scientology. Todas as conferências são uma educação na Scientology básica: “Os Objetivos de Dianética e Scientology”, “Livre-Arbítrio e Autodeterminismo”, “Até Que Ponto Podem Vir a Ser Bons” e “As Dinâmicas”, entre outras.

Agora disponíveis pela primeira vez como a sua própria série, e de valor incalculável para os Scientologists em todos os níveis, estas conferências representam uma afirmação duradoura dos objetivos, princípios e aplicação de Scientology ao longo das dinâmicas.

Leia Mais

adquira
130€
Quantidade
Língua
Envio Gratuito Atualmente elegível para envio gratuito.
Em Stock
Envio dentro de 24 horas
Formato:
CD
Conferências:
8

MAIS SOBRE

AS CONFERÊNCIAS DO TEATRO LINDSEY: SÉRIE DA TARDE DE LONDRES

O lugar da vida não é dentro de um livro. O lugar da vida não é dentro de um departamento universitário. A vida deve estar onde está. E onde ela estiver, ela está a respirar e a viver.

O conhecimento da vida deveria estar nas mãos dos que estão a viver. São esses quem deveriam ter conhecimento da vida. – L. Ron Hubbard

A 20 de Setembro de 1955, Sr. Hubbard pôs os pés em solo inglês para a sua primeira visita em quase três anos. Era um momento de grande expectativa não só para os Scientologists mas também para membros do público geral. Pois a procura por Scientology estava a aumentar a tal grau que até mesmo os media nacionais estavam a tentar satisfazer o interesse do público tentando obter uma entrevista exclusiva com ele.

A resposta de L. Ron Hubbard procura tornou-se, desde então, lendária. Pois embora os seus planos estivessem certamente focados em expandir as fileiras de auditores e em melhorar as suas capacidades, através de uma série de cursos de treino profissional que se estenderiam pelos próximos cinco meses, ele estava igualmente dedicado a colocar as suas descobertas e avanços ao serviço do grande público. Assim, muito pouco tempo após a sua chegada, ele agendou uma série de tardes de sábado para conferências públicas. E durante um período de quatro semanas em Outubro, ele deu as palestras que ficarão sempre conhecidas como a série introdutória Clássica sobre Dianética e Scientology.

Quanto ao local onde ele deu essas famosas conferências em Londres:

O New Lindsey Theatre, perto de Notting Hill Gate, era um recinto popular de eventos nos princípios da década de 1950, frequentado pela realeza britânica e com um palco pisado por actores ilustres como o Dirk Bogarde e Kenneth More – este último rapidamente atingiu uma fama duradoura em Inglaterra com a sua representação do ás do Spitfire da Segunda Guerra Mundial, Douglas Bader, num filme de 1956, Reach for the Sky (Alcançar o Céu). No entanto, como e tornou rapidamente evidente, as conferências do Sr. Hubbard foram um fenómeno único: as presenças dele lotaram o teatro para além das suas capacidades. Como relatado pela Certainty, a revista da Associação Hubbard de Scientologists Internacional, em Londres, “a assistência foi tão tremenda que, para além de todos os lugares para estar de pé estarem ocupados, tiveram de ser colocadas uma série de extensões de altifalantes nas nossas instalações para que o menor número possível de pessoas se fosse embora ou ficasse desapontada”.

Apresentado como “o meu melhor amigo e o melhor amigo de Inglaterra” pelo Scientologist George Wichelow – um dos maiores mágicos de palco ingleses e já reconhecido pelas suas palestras sobre Scientology dadas no Hyde Park, em Londres – L. Ron Hubbard rapidamente cativou a sua audiência com uma educação em Scientology básica. Os títulos são agora imortais: “Os Objetivos de Dianética e Scientology”, “Livre-arbítrio e Autodeterminismo”, “Até Que Ponto Podem Vir a Ser Bons” e “As Dinâmicas”. E apesar de as assistências poderem ter sido novas em Scientology, Sr. Hubbard não se restringiu ao dar-lhes a sua amplitude total na aplicação:

“Esta é a velha sentença: ‘Não perguntes por quem os sinos dobram, eles dobram por ti.’ Vocês podem dizer o mesmo sobre as dinâmicas: não perguntem qual está suprimida, porque não importa. Se uma está suprimida, também as outras estarão suprimidas. Elas não são independentes na sua ação. Estão conectadas e em confluência, uma com a outra.

“Não podem suprimir a sua Primeira Dinâmica e fazer com que a sua Terceira sobreviva. Isso simplesmente não funciona.

“Bom, quando digo que não funciona, estou a falar da arca de evidências mais ampla que alguma vez foi arranjada para alguém inspeccionar: a história do Homem.”

Contudo, isto é apenas um mero vislumbre do que L. Ron Hubbard forneceu nessas conferências – uma vasta gama de ferramentas para qualquer pessoa e todas as pessoas usarem em todas as dinâmicas:

  • Comunicação – como esta é a solução para a enturbulação;
  • Livre-arbítrio – um indivíduo agarrar-se-á à última coisa em que tinha livre-arbítrio antes de ele perder o seu livre-arbítrio;
  • Fatores Ambientais – para auditar um indivíduo também é preciso auditar o seu ambiente, como por exemplo, a sua família;
  • A Mente Regula a Estrutura – uma pessoa está doente devido a uma decisão que tomou, como por exemplo, não querer ir para a escola;
  • Insanidade – uma pessoa insana é aquela que perdeu o seu livre-arbítrio sobre a sua vida ou sobre a sua morte;
  • Automaticidades – como o indivíduo instala automaticidades e maquinaria para manejar a vida;
  • Morte – como uma pessoa que decide viver, sem ter desfeito a decisão de que vai morrer, fica pendurada no meio das duas, mas com Scientology ela pode tomar a decisão de sobreviver.

Acima de tudo, o Sr. Hubbard enfatizou a aplicação, especialmente na sua conferência final dada a uma sala apinhada de gente, onde ele convida-os a descobrirem a verdade daquilo que aprenderam por eles mesmos:

“Mas mais importante do que isso é que, tendo então um melhor domínio dos factos e da vida sob o vosso controlo, é claro que vocês podem fazer mais com a própria vida, visto que não são impedidos de comunicar em todas as frentes pela convicção de que alguma enorme barreira se interpõe entre vocês e uma das dinâmicas ou o resto do mundo. Nada se interpõe entre vocês e qualquer outra parte da totalidade deste ou de qualquer outro universo. Se quiserem pôr isto à prova, convido-vos a fazê-lo. Serão pessoas mais felizes.”

Que muitos o puseram à prova e se tornaram pessoas mais felizes é um facto da história. Porque se o Lindsey Theatre se encheu completamente, a procura subsequente por estas conferências sem dúvida que se equiparou a essa intensidade de interesse. Com efeito, a série provou ser tão popular que foram feitas imediatamente cópias das palestras gravadas, que foram disponibilizadas nos Estados Unidos e África do Sul. Entretanto, em Inglaterra, a expansão de Scientology subiu em flecha para níveis nunca antes vistos nas Ilhas Britânicas.

Agora disponíveis pela primeira vez como a sua própria série, e de valor incalculável para os Scientologists em todos os níveis, estas conferências representam uma afirmação duradoura dos objetivos, princípios e aplicação de Scientology ao longo das dinâmicas.