ESTUDO DE CASO

AJUDAR A RESTAURAR A ESTABILIDADE
NA TAILÂNDIA

A última década da Tailândia é um conto de conflito e facções políticas, incluindo o «Estado de Sítio Outubro Vermelho» entre grupos de esquerda e de direita.

Tendo observado o efeito calmante de O Caminho para a Felicidade, membros da equipa de O Caminho para a Felicidade decidiram ajudar a acabar as hostilidades entre as partes.

Eles começaram em Banguecoque ao distribuírem milhares de folhetos de O Caminho para a Felicidade num comício nocturno do grupo de esquerda nas passarelas de desfiles Grand Palace e no comício do grupo de direita noutro local. Ao fim da primeira hora, os manifestantes paravam para ler os preceitos. Quando foi colocado nas mãos dos líderes partidários, O Caminho para a Felicidade tornou‑se o único ponto de concordância entre os dois grupos rivais.

MAIS DE
13
MILHÕES
RECEBERAM
a
mensagem de
OCAMINHO
PARA A FELICIDADE
NA TAILÂNDIA

A equipa de O Caminho para a Felicidade também distribuiu o folheto directamente à população civil de Banguecoque: nos mercados de Khlong Toei onde trabalhadores da Tailândia se reúnem há já muito tempo, no metro de Banguecoque, aos motoristas de táxi que fazem paragens ao longo do rio Chao Phraya e aos budistas do templo de Wat Tham Thong Mangkon.

Eles redobraram os seus esforços com apresentações de O Caminho para Felicidade em escolas, ao envolverem milhares de estudantes no ensino interativo sobre os preceitos.

Depois de ter sido apresentado ao programa, o Alto Oficial da Polícia Real tailandesa de Banguecoque ordenou a distribuição imediata de O Caminho para a Felicidade a toda a força policial.

A equipa entregou também seminários a 600 agentes da polícia metropolitana e a uma unidade especial do exército do Rei responsável por preservar a Constituição tailandesa. A formação no Caminho para Felicidade espalhou‑se então pelos ramos das Forças Armadas: o centro de comunicação no Posto do Exército do Comando Estratégico, as equipas de helicópteros do Black Hawk da Força Aérea Real Tailandesa, as tropas de marchas cerimoniais do Royal Thai, o Corpo de Sinalização Real e da Guarda do Rei.

No total, 10.000 pessoas assistiram às conferências de O Caminho para a Felicidade, 150.000 folhetos entregues e centenas de milhares de pessoas viram a mensagem de O Caminho para a Felicidade na televisão. Em apenas um ano, a mensagem de O Caminho para a Felicidade alcançou 13 milhões de cidadãos da Tailândia.

E com o folheto nas mãos de mais de 22.000 soldados, um oficial do Exército Real Tailandês proclamou «Hoje, há esperança para o nosso futuro, graças a O Caminho para a Felicidade».