Como é que Scientology começou?

COMO É QUE SCIENTOLOGY COMEÇOU?

L.¬Ron¬Hubbard iniciou os seus estudos da mente e do espírito, em 1923, que resultaram num manuscrito intitulado “Excalibur”, em 1938. Foi neste trabalho inédito que a palavra Scientology apareceu pela primeira vez para descrever o que o Sr.¬Hubbard denominara “o estudo de saber como saber”. Ele decidiu sobre a não publicação do livro pelo facto de que ‘Excalibur’ não continha qualquer tipo de terapia, mas era apenas uma discussão sobre a composição da vida”. Consequentemente, “decidi ir mais longe”.

Esse “ir mais longe” resultou em Dianética, um assunto que foi introduzido no campo mais amplo de Scientology para fornecer um tratamento “real” facilmente aplicável pelo homem na rua. Assim, em 1947, ele escreveu um manuscrito a detalhar as descobertas fundamentais de Dianética. Apesar de não ser publicado na época, o manuscrito foi distribuído entre amigos e colegas, que copiaram e repassaram a outros. (Este trabalho foi eventualmente publicado em 1951 como Dianética: A Tese Original.)

Como as cópias do manuscrito continuavam a circular, o Sr.¬Hubbard começou a receber uma enxurrada de cartas a solicitar mais informações. De facto, ele depressa viu que passava todo o seu tempo a responder a cartas e decidiu escrever um texto abrangente sobre o assunto, Dianética: O Poder da Mente sobre o Corpo.

Publicado no dia 09 de maio de 1950, este desencadeou uma onda de entusiasmo popular, e depressa chegou à lista de best–sellers do New York Times onde permaneceu por 28 semanas consecutivas. Como tal, este foi o livro sobre a mente que mais vendeu jamais escrito, e assim permanece atualmente. Aí contido estava a descoberta da origem da mente reativa, a origem oculta dos pesadelos, medos irracionais, transtornos e insegurança.

No entanto, nunca L.¬Ron¬Hubbard considerou Dianética como um fim à sua investigação, mas, em vez disso, um degrau para a descoberta e isolamento de uma fonte de vida longa ilusória. E, de facto, as técnicas de Dianética forneceram os meios pelo quais os profissionais cedo começaram a descobrir vidas passadas. Ao pressionar a aplicação e pesquisa ainda mais veio a realização do que é conhecido como a exteriorização, a demonstrar que o espírito era na verdade separável do corpo e mente: A religião de Scientology nascera.

Posteriormente, L.¬Ron¬Hubbard investigou profundamente cada vez mais a natureza espiritual do Homem, ao documentar as suas descobertas em milhares de conferências gravadas, filmes, artigos e livros.

E para apresentar essas descobertas, ele circum–navegou literalmente o globo e assim foram abertas Igrejas de Scientology em quatro continentes, com sede na sua residência de longa duração no Sul de Inglaterra.

Durante os anos seguintes, L.¬Ron¬Hubbard continuou a avançar o tema até ao seu falecimento em 1986.

O seu legado é composto por dezenas de milhões de palavras publicadas, conferências gravadas e filmes, enquanto que com mais de 250 milhões de exemplares dos seus livros e conferências em circulação, ele inspirou um movimento que abrange todos os continentes e todas as culturas.