Scientologists de 172 Nações Proclamam: Nós somos a IAS!

CLEARWATER, FLORIDA

SCIENTOLOGISTS DE 172 NAÇÕES PROCLAMAM:
NÓS SOMOS A IAS!

30 de novembro de 2013

Um cavaleiro montado num cavalo branco.

Um regimento com tambor e gaita-de-foles cerimoniais.

Mais de 6500 Scientologists, representando 50 nações, a entrar no Grande Hall para a celebração.

A celebração destacou um ano dinâmico de crescimento para a religião de Scientology e de conquistas sem paralelos dos programas humanitários patrocinados pela IAS em 162 nações.

Este foi o esplendor que anunciava o 29.º Aniversário da Associação Internacional de Scientologists (IAS), realizado no fim de semana de 29 de novembro de 2013 em Clearwater, Florida.

O aniversário foi celebrado duas semanas depois da inauguração histórica da nova sede espiritual de Scientology e do lançamento monumental da Idade de Ouro da Tecnologia Fase II.

Começou tudo na sexta-feira, quando o Sr. David Miscavige, Presidente do Conselho do Religious Technology Center, disse à reunião internacional: “No centro de Scientology e no eixo em torno do qual o nosso mundo gira, está a Associação Internacional de Scientologists. Considerando a partir de uma perspectiva planetária, isto propaga-se agora por 96 mil quilómetros desde o Afeganistão à Islândia, com membros que falam 65 línguas, de mais de 200 raças e culturas por 172 nações da Terra. Tudo para proclamar: Nós somos a IAS!”

A celebração destacou um ano dinâmico de crescimento para a religião de Scientology e de conquistas sem paralelos dos programas humanitários patrocinados pela IAS em 162 nações.

Para coroar a celebração foram anunciados os vencedores da Medalha da Liberdade da Associação Internacional de Scientologists. O prémio anual é concedido àqueles Scientologists exemplares que defendem a dignidade e a liberdade para toda a humanidade ao levar adiante os maiores objetivos humanitários da Igreja.

Os três vencedores da Medalha da Liberdade foram reconhecidos, respectivamente, por dar início a uma legislação federal que agora protege todos os cidadão de serem drogados pela psiquiatria e da sua brutalidade; por promover eficazmente a Declaração Universal dos Direitos do Homem em Taiwan e ensinar a milhões de pessoas os seus direitos inalienáveis; e por salvar dezenas de milhares de vidas da toxicodependência no Nepal através do programa da Narconon — que agora tem um centro de reabilitação de toxicodepentes patrocinado pela IAS no topo do Hubbard’s Peak, uma montanha que faz parte dos Himalaias, acima de Katmandu que foi rebatizado pelos nepaleses em homenagem a L. Ron Hubbard. Mais de 50 vencedores da Medalha da Liberdade da IAS de anos anteriores estavam presentes no fim de semana de eventos.

Na noite seguinte, milhares de Scientologists reuniram-se novamente para o Baile Anual de Patronos da IAS. A ocasião de gala recebeu o maior número de Patronos da história da IAS, reconhecendo-os pelas suas contribuições sem precedentes que dão aos programas patrocinados pela IAS que fazem avançar os objetivos de Scientology para um mundo melhor.

Na assistência estavam 270 Patronos, 165 Patronos com Honras, 145 Patronos Meritórios, 130 Meritórios de Prata, 33 Meritórios de Prata com Honras, 76 Meritórios de Ouro e 17 Meritórios de Ouro com Honras. Depois, também havia os níveis mais nobres de contribuição: 52 Meritórios de Platina, 39 Meritórios de Platina com Honras, 29 Meritórios de Diamante e os níveis mais sublimes de Patrono Laureado, Excalibur e Maximus.

A celebração dos Patronos da IAS foi concluída com um concerto das lendas do jazz Chick Corea (vencedor da Medalha da Liberdade da IAS) e Stanley Clarke.

_________________

A Associação Internacional de Scientologists, uma associação de filiação aberta a todos os Scientologists de todas as nações, foi formada em 1984. O propósito da IAS é unir, fazer avançar, apoiar e proteger a religião de Scientology e os Scientologists em todas as partes do mundo com o fim de realizar os Objetivos de Scientology tal como foram originados por L. Ron Hubbard: “Uma civilização sem insanidade, sem criminosos e sem guerra, onde os capazes possam prosperar e os seres honestos possam ter direitos, e onde o Homem seja livre para se elevar a maiores alturas.”